O Ministério Público pede ainda que a secretária Rosa Matias fique cinco anos proibida de trabalhar no serviço público

A Prefeitura de Pires Ferreira, cidade na Zona Norte do Estado, desdenha do Ministério Público estadual e da Justiça cearense. A senhora Rosa Ferreira Matias, secretária de Educação, Cultura, Turismo, Juventude e Desporto do município, não era para estar no cargo.

A gestora responde no Fórum da Comarca do Ipu a 4 processos por Improbidade Administrativa, acusada de desviar dinheiro público nos anos de 2009, 2010 e 2011, tudo apurado e constatado pelo Tribunal de Contas dos Municípios – TCM.

As contas da Secretaria de Educação dos exercícios de 2009 e 2010 foram desaprovadas por irregularidades e a gestora condenada pelo TCM a devolver R$ 19.980,00 e a pagar multa de R$ 7.448,20.

Já nas contas de 2011, o Ministério Público solicita a devolução de R$ 71.946,00 por compra de alimentos sem a comprovação de que as licitações foram realizadas.

O MP na última ação, promovida em 2018, pede o afastamento de Rosa Matias do cargo e mostra que o Tribunal de Contas não recebeu os documentos comprovando obras contratadas das empresas: Cenpel Centro Norte R$ 164,550,00 e EV Edificações e Construções, ambas sediadas na cidade de Reriutaba-CE.

O juiz Denys Karol Martins Santana, que responde pela Comarca do Ipu, é quem está conduzindo o processo.

Diante de tudo isso e muito mais, a prefeitura de Pires Ferreira mantém essa senhora no cargo de Secretária de Educação, desafiando os fatos e desrespeitando o princípio constitucional da moralidade pública.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here