A Central é uma parceria do Itaú/Unibanco e terá capacidade de realizar 10 mil testes por dia

O Eusébio deve ganhar, em um prazo de 30 dias, uma Central de Processamento de Testes Moleculares para COVID-19. O anuncio é da Fiocruz, que recebeu uma doação da aplicação “Todos Pela Saúde” do grupo Itaú/Unibanco com esse objetivo. A Central terá capacidade para realizar cerca de 10 mil testes, por dia, para detectar a infecção por coronavírus nas pessoas. Segundo Pedro Ribeiro Barbosa, presidente do Instituto de Biologia Molecular do Paraná (IBMP), órgão ligado a Fiocruz, o processo de instalação já está sendo iniciado e em 30 dias o prédio de 2 mil metros quadrados deverá estar funcionando, no Polo Tecnológico de Saúde da Precabura.

Pedro Barbosa, que faz parte da coordenação da Fiocruz para o enfrentamento da COVID-19 e é um dos especialistas da aplicação “Todo Pela Saúde” do Itaú-Unibanco, destaca que os testes moleculares são diferentes dos testes sorológicos, pois apontam se há infecção em tempo real, quando o vírus está em ação no corpo humano e detecta o material genético do coronavírus. Segundo ele, é o mais indicado para ver se uma pessoa, em um dando momento, está contaminada, pois aponta se há infecção em tempo real quando o vírus está em ação no corpo humano.

Ele observa que atualmente no Brasil são realizados poucos testes moleculares, algo em torno de 28 mil por dia, “isso deveria ser bem superior”, pontuou. Segundo Pedro, avaliando a situação atual do país, o “Todos Pela Saúde”, que é a aplicação de R$ 1 bilhão de doação do Itaú/Unibanco, resolveu apoiar a testagem no Brasil e está doando para a Fiocruz duas centrais: uma para realizar até 15.000mil testes por dia, que será instalada na Fiocruz Rio de Janeiro, que passará a capacidade de 17.500 testes/dia e outra com capacidade de até 10 mil testes/dia que será instalada no Eusébio – Fiocruz. “Essas centrais, as obras começam imediatamente e devem ficar prontas em 30 dias”, enfatizou.

Pedro Barbosa destaca que as centrais foram adquiridas junto a empresa chinesa PGI e cada uma tem o custo de 12 milhões de dólares. Já o custo da operação das centrais, ficará a cargo da própria Fiocruz com recursos orçamentários do Ministério da Saúde. As centrais deverão funcionar 24 horas, por dia, e empregar cerca de 150 pessoas.

“O importante também é o legado que fica para o país, que está sendo doado pelo “Todos Pela Saúde” para a Fiocruz e para o sistema de vigilância epidemiológica do Brasil – SUS. Com isso, também o Eusébio passará a ser um polo de recebimento de amostras que são os swabs, que virão de outros estados do Nordeste e que serão processados na unidade instalada no Município”.

Quando a construção da Central em tempo recorde, Pedro Barbosa esclarece que se trata de um modelo construtivo inovador, idêntico ao utilizado no Hospital para COVID-19 da Fiocruz no RJ, com todas as condições de biossegurança que requer uma central analítica desse porte. Dentro do prédio estarão instaladas dezenas de máquinas automatizadas que realizarão as análises dos swabs para confirmação de COVID-19. “Será um grande laboratório em prédio 2 mil metros quadrados”, ressalta.

Situação atual​

Pedro Barbosa assevera que as centrais serão fundamentais no enfrentamento do novo coronavírus no país e praticamente dobrarão a capacidade atual de testagem para COVID-19. Hoje no Brasil esse tipo de teste é realizado em três locais: por uma Central do IBMP do Paraná que fica em Curitiba, que realiza 5 mil testes por dia; outra, localizada no Butantã em São Paulo, que tem com capacidade para 8 mil testes/dia e outra que fica na DASA, também em São Paulo, que deve realizar algo próximo a 15 mil testes dias. Com as duas novas centrais, no Rio e no Eusébio, o número de testes deve atingir próximo de 60 mil testes/dia no país.

Segundo o secretário de Desenvolvimento Econômico de Eusébio, Eilson Gurgel, esse empreendimento, de cerca de R$ 60 milhões que o Eusébio receberá, terá um grande impacto positivo no Polo Tecnológico de Saúde, atraindo mais empresas para seu entorno. “Após passar a pandemia, o legado continua e o laboratório permanecerá em nossa cidade. Além disso, o Eusébio se tornará o polo de diagnóstico do Nordeste para COVID, e receberá uma gama de especialistas que trarão seus conhecimentos para o município”, pontuou.

Com informação ASCOM/PME

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here