Força Nacional permanece no Ceará por mais 30 dias

0

Desde o dia 2 de janeiro, quando começaram as ações criminosas, ocorreram 261 ataques contra ônibus, carros, prédios públicos, prefeituras e comércios em 50 dos 184 municípios cearenses

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, autorizou nesta sexta-feira (8) a prorrogação da Força Nacional no Ceará por 30 dias. Desde o dia 4 de janeiro, 400 homens da Força Nacional reforçam o patrulhamento de vias e ações de inteligência no estado.

Moro atendeu a pedido do governador do estado, Camilo Santana. Para o ministro, a atuação da Força Nacional ajudou a reduzir ações de grupos criminosos, além de garantir ordem e proteção à população do estado.

As ações criminosas começaram em Fortaleza e se espalharam para a Região Metropolitana e diversas cidades do interior. A Secretaria da Segurança Pública do Ceará confirmou que 461 pessoas já foram detidas por envolvimento nas ações criminosas.

Foram 26 dias seguidos de ataques criminosos no estado. Após a série seguida de violência, o Ceará não registrou nenhuma ação criminosas na segunda-feira (28), de acordo com o Governo do Estado. No entanto, bandidos voltaram a incendiar veículos no dia 29 de janeiro.

Depois disso, o Ceará ficou cinco dias sem ataques criminosos, mas após a trégua, um caminhão com trigo foi incendiado em Fortaleza, na madrugada de segunda-feira (4).

Em ofício enviado ao governador Camilo Santana, o ministro Sérgio Moro ressaltou que a atuação da Força Nacional em conjunto com as forças de segurança estaduais promoveu uma redução das ações causadas pelos grupos criminosos, restaurando a lei, a ordem e protegendo a população cearense.

De acordo com o Ministério da Justiça e Segurança Pública, durante os próximos 30 dias será feito um plano de desmobilização gradativa, de acordo com avaliação da Secretaria Nacional de Segurança Pública. Segundo a pasta, de acordo com a gravidade e o número de incidentes, a Força Nacional estará pronta para retornar ao estado.

Segundo o ministério, mais de 40 presos foram transferidos para presídios federais desde o início dos ataques no estado.

Além do apoio da Força Nacional, o ministério também prestou apoio com a Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Departamento Penitenciário Nacional, além de ter entregue equipamentos de segurança para as forças locais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here