Em nota Anatel que diz que consumidor não pode importar smartphones e tablets

0
82

Lembrando que você pode trazer o produto junto com você de
sua viagem ao exterior, mas não importar, ou seja, comprar de sites no exterior
como aqueles chineses

Depois de confirmar que está homologando sim aparelhos
eletrônicos como drones que chegam ao Brasil pelos Correios, por exemplo, a
Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), deixa claro o valor que cobra.
Sim, usuários que forem escolhidos para terem os produtos homologados irão
pagar R$ 200 a R$ 500. O problema é que ela diz, em nota, que não podem ser
homologados para o uso do próprio consumidor: telefones celulares, tablets, TV
boxes, roteadores sem fio e demais equipamentos emissores de sinais eletromagnéticos.
Neste caso, o produto é devolvido para o país de origem.

Entenderam o drama? Não podem entrar no País, via importação
pelo consumidor, telefones celulares e tablets, entre outros. Ou seja, quem
compra aparelhos lá da China corre o risco de perder o dinheiro e o aparelho.
Questionamos a Anatel e ainda estamos esperando a resposta deles se isso não
seria um exagero.

Ainda de acordo com comunicado, a Anatel fiscaliza
equipamentos de telecomunicações passíveis de certificação e homologação,
segundo as normas brasileiras. “O uso de aparelhos homologados previne
acidentes como explosões de baterias, exposição do usuário a radiações nocivas
à saúde e interferências em outros serviços de telecomunicações. Por isso, a
Anatel realiza ações de fiscalização a fim de coibir a venda e o uso de
produtos irregulares”, informa.

A Agência diz que, desde o ano 2000, o Regulamento para
Certificação e Homologação de Produtos para Telecomunicações estabelece os
procedimentos e as taxas vigentes (Resolução 242, de 30/11/2000). Ela informa
quais os produtos que, recebidos pelos Correios, podem ser homologados para o
uso do próprio consumidor que está importando o equipamento, por meio de uma
Declaração de Conformidade:

  • drone
  • mouse sem fio
  • teclado sem fio
  • fones de ouvido sem fio
  • relógios inteligentes, entre outros.

No caso de o consumidor importar um desses produtos para uso
pessoal, a taxa para homologação é de R$ 200,00. Pessoas físicas e jurídicas
que irão comercializar produtos no país devem certificá-los junto a um dos
Organismos de Certificação Designados (OCDs); neste caso, a taxa é de R$
500,00.

Exagero ou não, se o aparelho que você comprou na China, por exemplo, cair na fiscalização, você pode perder tudo: dinheiro e smartphone. Vale o risco?

Informação Diario do Nordeste.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here